Quem faz
Comentários 11

Andarilha, minha avó me ensinou a ser

Screen Shot 2015-04-30 at 8.21.02 AM

Queridos andarilhos,

De Angicos para Natal. De Natal para Recife. Pelo Rio São Francisco, para Minas. De lá, Brasília, Cuiabá. Desta trajetória de vida da minha avó, herdei primos pelo país. Herdei a mania de ouvir diferentes sotaques na mesma família. Herdei as longas viagens de ônibus. Herdei a vontade de ser: Andarilha.

Seguindo os passos dela, eu morei aqui e ali; viajei pra cá, pra lá. Fiz um livro sobre as suas andanças. Quando me despedi de minha avó, recebi histórias de netos apaixonados por todo o país. E o Brasil eu comecei a pesquisar através das pessoas e seu cotidiano.

Hoje, compreendo que o importante não é o destino, mas sim o percurso. Caminho para registrar, salvaguardar e difundir histórias de pessoas criativas que também buscam, em sua cultura e em suas trajetórias de vida e família, referências para fazer projetos inspiradores.

Meu mapa é o humano. No centro, estão os saberes: conhecimentos e modos de fazer enraizados no cotidiano. Como protagonistas, os criadores: atuantes na construção de uma memória afetiva comum. Minha língua, aliás, é o afeto. Meu tradutor são as diversas formas de expressão: arte, música, gastronomia, fotografia e audiovisual.

Na bagagem, o outro. Convido você para ir junto.

Você que adora conhecer pessoas pelo mundo mas não perde a conversa de portão com a vizinha. Você que, ao montar a mala, sempre vasculha as fotos na gaveta da sua mãe em busca de histórias para levar junto. Você que coleciona cacarecos como seu pai fazia e até hoje coleta vários deles por onde caminha. Você que busca inspiração na sua família, na sua história e na sua cultura para criar. Você, Andarilho.

Andarilho, pois vive o caminho. Busca, em sua família, inspiração. Em sua cultura, referência. Em si, trajetória.

Vamos juntos?
Andarilha


Andarilha é um projeto autoral feito por Ana Luiza Gomes com o apoio de pessoas como Bruno Nunes, Bruno Tomé, Viquitor Burgos, GA Barulhista e Rede Andarilha. Foto: Viquitor Burgos. 

© 2016 Andarilha Todos os direitos reservados. Para pedir autorização de uso de imagens e texto, entre em contato.

 

11 Kommentare

  1. Solange de Moraes sagt

    Andarilha, cigana, aventureira… Não importa o título, conhecer pessoas do mundo é fascinante! Cada pessoa que você encontra pelo caminho, tem coisas para ensinar e histórias para contar. Você só precisa fazer uma coisa, parar e escutar.

  2. Celene Godoi sagt

    Oi Ana! Sempre vejo seus post no Instagram e então achei que deveria conhecer melhor o Projeto Andarilha. E vim aqui. Que projeto lindo! Puro, cheio de vida, uma simplicidade tão bela! Parabéns, que sejam muitos caminhos inspiradores!

  3. Gabriela Giovanka sagt

    Olá Ana!

    Que histórias lindas! Adorei o seu blog.
    Também tenho essa febre perdedeira, andarilha, eu e meu marido 🙂 E somos muito felizes por isso. Se quiseres saber um pouco sobre nossas histórias, procure por Roda de Passarinho. Um grande abraço!

    • Ana Luiza Gomes sagt

      Que legal Gabriela, seja bem vinda. Visitarei em breve o Roda e mando mensagens ;] Andarilhar é preciso!

  4. Bárbara Ávila sagt

    Te acompanho desde o A pattern a day, q descobri no blog da Laura Barbi. Adoro a maneira como vc escreve, o seu olhar sobre o Brasil, sobre o povo, as tradições. Parabéns!

  5. Marcondes Augusto de Lima sagt

    Olá Ana!
    Também tenho essa vontade de sumir e aparecer. Um pouco da minha história, procure no blog mansão dos Lima. Abraço e parabéns.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *