Todas as publicações sobre: Brincante

05

Brincante, por Lucas Magalhães

Na Convocatória Brincante (realizada junto ao Coletivo Nação, com apoio da Revista Raiz), buscamos selecionar também jovens olhares, como o de Lucas Magalhães. O mineiro vivenciou em sua própria cidade, Belo Horizonte, na comunidade de Concórdia, manifestações culturais populares tradicionais do Congado. A relação com as crianças e com os jovens do local ressaltou a importância de seu olhar como também fotógrafo. Por aqui, entrevistamos mais sobre a sua pesquisa: Como você chegou até a comunidade de Concórdia, em Belo Horizonte? Cheguei ao Reinado Treze de Maio de Nossa Senhora do Rosário por meio de um projeto de pesquisa e extensão pela UEMG – Escola de Design. Durante a disciplina optativa “Antropologia Visual” do curso Bacharelado em Design Gráfico, conheci o trabalho da professora e pesquisadora Cristiane Gusmão Nery, que já vinha desenvolvendo projetos não só com o Reinado Treze de Maio, mas também com diversas Guardas de Reinado de Nossa Senhora do Rosário em Belo Horizonte e região (Ibirité, Prudente de Morais e Conselheiro Lafaiete são algumas cidades em que também estivemos presentes). O trabalho mais extenso …

martelo 3

Brincante, por Hélia Scheppa

Ao criarmos uma Convocatória sobre Brincantes, nossa vontade era mesmo de entender o cotidiano desse agente da cultura popular. Queríamos ir até a sua casa, tomar um café, ver onde ele dorme, como ele guarda sua fantasia, como ele se prepara para os ensaios, como. Como é meio e caminho – um jeito andarilho de olhar. Foi por isso que nos encantamos tanto com o ensaio de Hélia Scheppa, fotógrafa pernambucana conhecida pelas reportagens dos jornais locais. O ensaio “Seu Martelo” faz parte de uma reportagem junto ao jornalista Mateus Araujo para o Jornal do Comercio e conta a história de Sebastião, um dos mais antigos Mateus (palhaços) do Cavalo-marinho da Zona da Mata: “…ele rompeu os limites do popular e também já adentrou na dança contemporânea. Durante oito anos, dividiu a cena com o Grupo Grial de Dança, em espetáculos como A barca e Castanho sua cor. Martelo cobra o título de Patrimônio Vivo de Pernambuco que nunca conseguiu receber do Governo do Estado e reclama que “é muito difícil ser Mateus, porque você não é valorizado”. No entanto, …